Search
Close this search box.

Nota de pesar: o nosso adeus ao amigo Jorginho Ramos

Imenso e indescritível pesar tomou conta, hoje, daqueles que tiveram a oportunidade de conviver com este querido confrade e amigo, que sempre levava harmonia e colaboração por onde passava. Na tarde desta quinta-feira, 04 de abril de 2024, faleceu o jornalista, pesquisador e escritor Jorge Luiz Ramos.

O nome dele será lembrado pela ABI e pelo IGHB, pelo seu empenho e pela dedicação ao enaltecimento das entidades e para a valorização da cultura. Seu nome tornou-se sinônimo de amor devotado a essas instituições culturais, marcado também pela relação fraternal e respeitosa que sempre dispensou a todos.

Deixou enorme lacuna no campo da pesquisa na Bahia. Maior ainda é a lacuna deixada em nossos corações pela falta que fará o nosso amigo Jorginho Ramos. Que Deus conforte o coração de todos nós, especialmente dos familiares.

Com a presente nota, além de expressar o nosso pesar, também prestamos uma devida homenagem ao inesquecível Jorginho, ao tempo que registramos seu breve currículo, extraído do site do IGHB:

Nascido em Ipirá (BA), em 22 de abril de 1955, Jorge Ramos era graduado em Jornalismo e Direito pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e pós-graduado em “Metodologia e Didática do Ensino Superior” pela Faculdade São Bento.

Como jornalista trabalhou no jornal “Diário de Notícias” e nas emissoras TV Band Bahia, Aratu, TV Bahia; TV Educativa e Rádio Educadora. Foi subsecretário de Comunicação Social da Prefeitura de Salvador e Diretor de Televisão da Secretaria Estadual de Comunicação do Governo do Estado da Bahia e Assessor de Comunicação das secretarias estaduais de Transportes e Educação, além de outros órgãos como o Teatro Castro Alves, Fundação Pedro Calmon e do Centro de Recursos Ambientais (CRA).

É autor do livro “O Semeador de Orquestras – História de um Maestro Abolicionista” (2011, Ed. Solisluna) e organizou a coleção de livros que compõem a “Coleção Bicentenário do 2 de Julho”, editada pela Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) e Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB). Ele foi professor na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da Faculdade 2 de Julho.

Integrava a Diretoria da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), o Conselho Curador da Fundação Hansen Bahia, em Cachoeira, e exercia o cargo de Diretor da Biblioteca Ruy Barbosa, do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *